A Cooperluz

Quem somos

A Cooperluz é uma cooperativa que atua no ramo de infraestrutura e tem como objetivo social principal, adquirir energia elétrica e distribuir aos seus associados em 15 municípios. Atua na distribuição de energia elétrica sob a forma de permissão consiste nas atividades de aquisição da energia, na distribuição, na comercialização, na manutenção de redes e equipamentos e na administração.

Complementando estas atividades, a cooperativa possui uma estrutura de apoio operacional composta de um almoxarifado, oficina de recuperação de materiais, testes de equipamentos, oficina mecânica, fábrica de postes, uma frota própria de veículos equipados para a atividade, além de construir e dar manutenção nas redes de energia elétrica com equipes próprias.

A cooperluz A cooperluz
Estrutura operacional da Cooperluz
Subestação 69/23 kV
Subestação 69/23 kV
Equipe para manutenção das redes elétricas
Equipe para manutenção das redes elétricas
Testes de equipamentos
Oficina testes de equipamentos
Frota própria de veículos
Frota de veículos própria
Almoxarifado
Almoxarifado
Fábrica de Postes
Fábrica de Postes
Oficina de recuperação de materiais
Oficina de recuperação de materiais
Oficina mecânica
Oficina de veículos

A história da Cooperluz

1970 - A fundação da Cooperluz

Nas décadas de 60 e 70, o Governo Federal através de programas de eletrificação incentivou a criação de cooperativas de eletrificação rural. Com o apoio dos prefeitos, lideranças, comunidade e principalmente dos agricultores da região noroeste do RS, em 05 de dezembro de 1970 foi fundada a Cooperluz - Cooperativa Distribuidora de Energia Fronteira Noroeste.

No início as dificuldades de manter a cooperativa foram muitas, pela falta de estrutura, escassez de recursos e de pessoal. Para superar estes desafios além dos programas de eletrificação rural, a Cooperluz contou com o apoio das prefeituras da região, do governo estadual, de entidades representativas e principalmente dos seus associados que acreditaram e deram suporte para que os objetivos e a missão da cooperativa fossem alcançados, de eletrificar e distribuir energia no meio rural.

1980 - A Cooperluz expande seu mercado

Com o passar dos anos, junto com a eletrificação rural e a distribuição de energia, surgiu a oportunidade de fornecer aos associados materiais elétricos, móveis e eletrodomésticos. O negócio começou pequeno e evoluiu chegando a ter uma rede de 12 lojas na região, porém, depois de muitos planos econômicos, inflação, o setor de varejo no final dos anos 80 passou por uma crise e grandes redes de lojas fecharem suas portas.

1990 - A Cooperativa foca em distribuição de energia

Em 1990, a Cooperativa foi reestruturada e a atividade comercial (lojas) foram encerradas, passando a atuar única e exclusivamente na distribuição de energia elétrica, razão da sua fundação.

1993- A luta pelas tarifas iguais às de outras concessionárias

Em 1993 deu início a uma luta pela igualdade da cooperativa poder praticar as mesmas tarifas que a então concessionária CEEE/RS praticava aos seus consumidores, especialmente os rurais, culminando com o reconhecimento do pleito pelo extinto DNAEE em tarifas diferenciadas de compra que possibilitou que as cooperativas do RS pudessem praticar tarifas iguais e ou próximas da concessionária.

2003 e 2004 - A inauguração de duas usinas

Em 2003 e 2004 foram inauguradas e colocadas em operação duas usinas de geração de energia elétrica (PCH Santo Antônio e a CGH Caraguatá/Comandai) com capacidade instalada de 5,453 MW.

2007 - As usinas são desmembradas

Em maio de 2007, por opção e determinação legal, a Cooperluz foi desmembrada e as usinas de geração de energia passaram para a recém-fundada Cooperluz – Cooperativa de Geração de Energia e Desenvolvimento.

2010 - Cooperluz permissionária do serviço público de distribuição

Em maio de 2010, a Cooperluz - Distribuidora de Energia foi regulamentada como permissionária do serviço público de distribuição de energia elétrica através do contrato de permissão 032/2010 assinado em 31/05/2010 com órgão regulador ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica com prazo de permissão de 30(trinta) anos, podendo ser renovado a critério do poder concedente.

2014 - O início de um projeto audacioso

Em meados de 2014 iniciamos um audacioso projeto de construção de uma subestação de 69/23 kV conectada à rede básica em 230 kV (DIT) com o objetivo de minimizar a dependência, as frequentes interrupções e o tempo de atendimento da concessionária/supridora.

2016 - O início das operações de uma subestação

No final de 2016 concretizamos o grande projeto e colocamos em operação uma moderna e automatizada subestação de 69/23 kV conectada à rede básica em 230 kV (DIT), que coloca a cooperativa em um novo patamar na distribuição de energia elétrica, possibilitando que tenhamos um sistema de distribuição de energia mais confiável, uma energia com mais qualidade, onde o maior beneficiado é o nosso associado, consolidando a vocação da Cooperativa como agente do desenvolvimento regional. Neste projeto além da subestação de 69/23 kV construímos 1,6 Km de linha de transmissão de 69 kV e mais de 140 Km de alimentadores expressos em tensão de 23 kV para interligar a nova subestação as nossas rebaixadoras.

Os princípios do cooperativismo

1. Adesão voluntária e livre;
2. Gestão democrática pelos membros;
3. Participação econômica dos membros;
4. Autonomia e independência;
5. Educação, formação e informação;
6. Intercooperação;
7. Interesse pela comunidade.

A Cooperluz em Números

A Cooperluz atende 15 municípios do estado, com um total de 15.398 unidades consumidoras. A distribuição ocorre da seguinte maneira:

Atendimentos

2018 2017 %
Número de Cooperados/consumidores 15.693 15.398 1,92
Número de empregados 123 122 0,82
Número de consumidores por empregado 128 126 1,09
Número de localidades atendidas 15 15 -
Número de postos de atendimento 2 2 -
Número de postos de arrecadação 10 10 -

Mercado

2018 2017 %
Área de permissão (km²) 2.704,00 2.704,00 -
Energia contratada (GWh) 67,74 64,25 5,43
Demanda Máxima (MW) 17.325 17.460 (0,77)
Distribuição direta (GWh) 60,40 58,11 3,94
Consumo residencial médio (kWh/ano) 1.787 1.741 2,63
Consumo rural médio (kWh/Ano) 4.029 3.921 2,74
Tarifas médias de fornecimento (R$ por MWh) 472,72 366,80 28,88
Residencial 503,38 468,90 7,35
Industrial 384,52 354,99 8,32
Comercial 534,36 489,79 9,10
Rural 363,48 338,97 7,23
Demais Classes 427,71 415,83 2,86
Suprimento - - -
DEC (horas) 37,43 37,51 (0,21)
FEC (número de interrupções) 15,67 19,78 (20,78)
Número de Reclamações por 10 mil consumidores 0,8164 0,6061 34,70
População Atendida – Urbana (em milhares habitantes) ND ND -
População Atendida - Rural (em milhares habitantes) ND ND -

Operacionais

2018 2017 %
Número de Subestações 69/23 kV 1 1 -
Redes de Distribuição (km) 4.270,70 4.274,48 (0,09)
Postes Instalados 42.403 42.021 0,91
Postes Concretos (%) 99,79 99,76 0,03
Número de Transformadores 4,077 3,914 4,16
Capacidade instalada Transf. (MVA) 74.540,50 71.073,00 4,88
Consumidores p/Km Rede 3,67 3,61 1,92

Perfil das Classes Consumo das 15.398 Unidades Consumidoras

Rural
Residencial
Demais classes
Iluminação pública (0%)

Perfil dos Cooperados em MWh Faturado por Classe de Consumo

Rural
Residencial
Comercial
Industrial
Outras